sexta-feira, 11 de dezembro de 2009











Curiosidades:










Porque bocejamos?











O bocejo é uma ação involuntária, na qual abrimos a boca e respiramos fundo. Pesquisas recentes afirmam que este mecanismo ocorre em fetos de 11 semanas de vida. Até certos animais, como cachorros, gatos e peixes, por exemplo, também bocejam.Quando uma pessoa boceja, abre bem a sua boca, permitindo a inalação de uma grande quantidade de ar. Ao realizar a inspiração, o pulmão se expande, os músculos abdominais são flexionados e o diafragma é contraído. O bocejo também provoca o aumento do ritmo do batimento cardíaco, elevando-o em até 30%. Até hoje, não se sabe exatamente o que provoca o bocejo. Existem três teorias que tentam explicá-lo. A teoria física afirma que nós bocejamos para obter uma maior quantidade de oxigênio e eliminar um acúmulo de dióxido de carbono. Por esse motivo, segundo a teoria, nós bocejamos bastante quando estamos em grupo, uma vez que muitas pessoas produzem uma maior quantidade de dióxido de carbono no ambiente. A teoria da evolução prega que os nossos ancestrais já realizavam uma espécie de bocejo para mostrar os dentes, e que este ato seria uma manifestação de confronto. Outra tese, e talvez a mais conhecida, é a de que o bocejo acontece em situações de tédio, fadiga ou cansaço. Atualmente, não é possível explicar o porquê de o bocejo ser provocado. Provavelmente, o mesmo é um mecanismo necessário para o bom estado do corpo, já que aumenta a quantidade de oxigênio e o ritmo dos batimentos cardíacos. No entanto, estes benefícios poderiam ser facilmente proporcionados por uma atividade física, por exemplo. Desta forma, o bocejo ainda é um assunto a ser explorado. Outro aspecto interessante é que, quando vemos e ouvimos alguém bocejar ou lemos algo sobre o tema – como este artigo – existe uma grande probabilidade de bocejarmos também.










Por Tiago Dantas





Equipe Brasil Escola










Por que as pessoas se ruborizam?


A ruborização por vergonha.






É muito comum, em uma situação de constrangimento, uma pessoa ficar envergonhada e sentir o rosto esquentar e ficar vermelho, especialmente na região das bochechas. A ruborização, como é chamada essa vermelhidão por constrangimento, é comandada pelo sistema nervoso simpático. É uma reação involuntária, ou seja, não há como induzi-la, só ocorre em situações nas quais a pessoa se sente constrangida ou envergonhada.
Quando ocorre uma situação constrangedora o organismo do indivíduo libera adrenalina, hormônio que age como um estimulante natural, gerando uma gama de efeitos, entre eles o da ruborização. A adrenalina quando acionada acelera a respiração e o batimento cardíaco, além de dilatar as pupilas, retarda o processo digestivo de modo que a energia seja direcionada para os seus músculos. Esse conjunto de efeitos são os que geram o choque que o indivíduo sente quando constrangido.
Esse hormônio também faz com que os vasos sangüíneos dilatem com finalidade de favorecer o fluxo de sangue e o transporte de oxigênio, resultando na ruborização.
Há um sinal do transmissor químico adenilato ciclase que dá o comando às veias da face para permitirem que a adrenalina “trabalhe”, isto é, fazem com que as veias se dilatem permitindo o fluxo de mais sangue do que o usual, deixando a face com um tom avermelhado de vergonha. Normalmente os vasos sangüíneos superficiais da derme são responsivos à adrenalina, mas as veias não são, como, por exemplo, em outras regiões do corpo as veias não reagem quando a adrenalina é liberada. Há outras circunstâncias em que as bochechas ficam coradas como, ingerir bebidas alcoólicas, mas a ruborização desencadeada pela adrenalina é provocada unicamente pelo constrangimento. Existe um método cirúrgico chamado de Simptectomia Endotorácica que limita a ruborização da face do indivíduo.





Por Eliene Percília


Equipe Brasil Escola

Nenhum comentário:

Postar um comentário