terça-feira, 14 de dezembro de 2010

As aventuras do peru Natalino (Jorge Linhaça)



Natalino o meu amigo
é um peru engraçado
vive a vida no perigo
de que o comam assado

Vai chegando o fim do ano
e ele fica agoniado
Feriado americano
é um sufoco danado

Se mandou para o Brasil
Achou que tinha escapado
Quando o calendário viu
já ficou desesperado

O natal se aproxima
e lembrou do ano passado
- Mas que triste é minha sina
ando sempre condenado!

No ano que se passou
escapou por muito pouco
quase que assado virou
de um papai Noel bem louco

Já estava condenado
na véspera do natal
tudo estava preparado
para o seu grande final

A forma estava untada;
o machado amolado
a mesa já decorada
e o pobre enjaulado

Mas num momento de sorte
escapou do seu destino
Livrou-se das mãos da morte
com a ajuda de um menino.

O garoto Toniquinho
quis brincar com o tal peru
tirou da jaula o bichinho
aqui mesmo em Arandú

O peru ressabiado
ciscou pra cá e pra lá
Toniquinho animado
não parava de pular

Mas o nosso Natalino
que não é bobo nem nada
deu um drible no menino
fugiu pela cerca furada

Glu-glu, glu-glu- gritava o peru-
Vem cá , vem cá - gritava o menino-
E pelas ruas de Arandú
corria, veloz, o Natalino

Embicou pelo campinho
e sumiu no calipau
Voou sobre o riachinho
se livrou nesse natal.

Encontrei o Natalino
que a aventura me contou
e o menino Toniquinho
meu amigo até ficou.

Pirlimpimpim
Pirlimpimpão
a história acaba assim
se você gostou tá bom.
***

Nenhum comentário:

Postar um comentário